Oração pelos Sacerdotes e Religiosos

Senhor Jesus, presente no Santíssimo Sacramento do Altar, que vos quisestes perpetuar entre nós por meio de vossos sacerdotes, fazei com que suas palavras sejam somente as vossas, que seus gestos sejam os vossos, que sua vida seja o fiel reflexo da vossa. Que eles sejam os que falam a Deus dos homens e falem aos homens de Deus. Que não tenham medo de servir a Igreja conforme suas necessidades. Que sejam testemunhas do eterno no nosso tempo, caminhando pelas estradas da história com vosso mesmo passo e fazendo o bem a todos. Que sejam fiéis aos seus compromissos, zelosos na sua vocação e na sua entrega, claros reflexos da própria identidade e que vivam com alegria o dom recebido. Tudo isso vos peço pela intercessão de vossa Mãe Santíssima: ela que esteve presente em vossa vida, esteja sempre presente na vida dos vossos sacerdotes, religiosos e religiosas. Amém!

 


 

PADRES E RELIGIOSOS(AS) DA FAMÍLIA STRAPPAZZON

 

          Padre Osmair Antônio Strapasson, Histórico - Arquidiocese de Curitiba PR - Brasil

             Don Alessio Gnas Strappazzon, Feltre - Diocese de Belluno - Itália

            Don Tarcisio Strappazzon,  Histórico  Salesiano - S. Vito d´Arsiè - It.

            Don Giulio Strapazzon  - Diocese de Belluno - Feltre - Itália

            Padre Aureliano Strappazzon Histórico Frades Menores de S. Antônio - S. Vito d´Arsiè - It.

            Padre Modesto Strappazzon, Histórico Frades Menores de S. Antônio - S. Vito d´Arsiè - It.

            Padre Ireneo (Valentino) Strappazzon - Frades Menores de S. Antônio - S. Vito d´Arsiè - It.

            Padre Floriano Strappazzon,
  Histórico  Missionário Vincenziano, Madagascar S. Vito d´Arsiè - It.

            Frei Roger Strapazzon - Franciscano -  Ordem dos Frades Menores - Campo Largo PR - Brasil

            Rosmar Rissi - Irmão Marista  Histórico  Porto Alegre - RS - Brasil - desc. de Prosdócimo Strappazzon

            Lauro Albernaz Strapasson - Seminarista - RS - Brasil

            Irmã Ivanete Strappazzon  - Irmãs Apóstolas -  Paraná - Brasil

            Irmã Raquel Travessini - Salvatorianas - desc. de Giovanni Strappazzon e Catterina Tonin - Brasil

            Irmã Reinalda (Edila) Strapazzon - desc. de Prosdócimo Strappazzon - Brasil

               Suor Amelia Strappazzon - Francescane del Giglio - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Chiara (Angela) Strappazzon,  Histórico Missionaria da Consolata - S. Vito - It.

           
Suor Demetria Strapazzon,  Histórico - Religiosa Missionária

            Suor Giovanna Strappazzon - Dorotee - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Lavinia Strappazzon - 1936- S. Vito d´Arsiè - It.

           
Suor Maria Giuseppina Strappazzon - f. de Giuseppe - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Maria Strappazzon - Terziaria francescana - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Maria (Ludovica) Strappazzon - Francescane del Giglio - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Rosa (Francesca) Strappazzon - S. Vito d´Arsiè - It.

            Suor Silvia Strappazzon, n. 02.10.1965 - Comunità S. Giuseppe, Pordenone PN

           

           


 

ORAÇÃO PELOS SACERDOTES
 

Ó Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote,
conservai os vossos sacerdotes 
sob a proteção do Vosso Coração Amabilíssimo,
onde nada de mal lhes possa suceder.
Conservai puros e desapegados
 dos bens terrenos os seus corações,
que foram selados com o caráter sublime
 do Vosso Glorioso Sacerdócio.
Fazei-nos crer no seu amor e fidelidade
 para Convosco e preservai-os do contágio do mundo.
Dai-lhes também, juntamente com o poder
 que têm de transubstanciar o pão
e o vinho em Vosso Corpo e Sangue,
 o poder de transformar os corações dos homens.
Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos
 e concedei-lhes um dia a coroa da vida eterna.
Amém!

(
S. Teresinha do Menino Jesus)

 


 
Preghemo per tutti i sacerdoti che hanno
svolto il loro ministero nella chiesa.
In particolare ricordiamo i parroci di San Vito, Rocca e Arsie:


PARROCI DI SAN VITO

Don Bartolomeo Antonio Velo parroco  

dal 1771 al 1779  

Don Francesco Antonio Velo

dal 1780 al 1806

Don Giovanni Battista Cavalli

dal 1807 al 1818

Don Francesco Bertoldi 

dal 1818 al 1858

Don Domenico Lamberto Spada

dal 1858 al 1876

Don Antonio Pizzato

dal 1877 al 1917

Padre Benedetto Peroni 

dal 1917 al 1919

Don Baldassarre Girardi

dal 1919 al 1938

Don Giovanni Bassani 

dal 1938 al 1950

Don Augusto Cafuri

dal 1950 al 1963

Don Vito Biolo

dal 1963 al 1970

 


I SACERDOTI E RELIGIOSI/E NATIVI DI SAN VITO

P. Ireneo (Valentino) Strappazzon (Nato nel 1925)  dei frati minori di Sant'Antonio                    
Padre Floriano Strappazzon, (Nato nel 1936) Missionario Vincenziano in Madagascar  
Don Emilio Tonin Salesiano
Don Ernesto Taverna Sacerdoti di Don Orione
Don Pietro Trevisan Salesiano
Don Tarcisio Strappazzon Salesiano
Don Vito Taverna Salesiano
Padre Aureliano Strappazzon Frati minori di S. Antonio
Padre Ernesto Tonin Dehoniano
Padre Giulio Tonin Salesiano
Padre Modesto Strappazzon Frati minori di S. Antonio
Padre Vito Tonin (histórico) Frati minori di S. Antonio
Luca Trevisan Chierico
Suor Amelia Strappazzon Francescane del Giglio
Suor Antonia Taverna  
Suor Chiara (Angela) Strappazzon Missionaria della Consolata
Suor Chiara (Natalia) Strappazzon  
Suor Giovanna Strappazzon Dorotee
Suor Lavinia Strappazzon  
Suor Maria Giuseppina Strappazzon Figlie di S. Giuseppe
Suor Maria Strappazzon Terziaria Francescana
Suor Maria (Ludovica) Strappazzon Francescane del Giglio
Suor Rosa (Francesca) Strappazzon  


 

PREGHIERA

Ascolta benigno, Signore,
le preghiere del tuo popolo
per i tuoi servi sacerdoti e religiosi
di cui oggi facciamo memoria,
e concedi a loro, che sull'esempio del Cristo
hanno consacrato la vita al servizio della Chiesa,
di allietarsi per sempre nella compagnia dei santi.
Te lo chiediamo per Cristo nostro Signore.

Amen.

 

 


PREGHIERA PER I SACERDOTI


O Gesù, sommo ed eterno sacerdote,
custodisci il tuo sacerdote dentro il Tuo Sacro Cuore.
Conserva immacolate le sue mani unte
che toccano ogni giorno il Tuo Sacro Corpo.
Custodisci pure le sue labbra
arrossate dal Tuo Prezioso Sangue.
Mantieni puro e celeste il suo cuore
segnato dal Tuo sublime carattere sacerdotale.
Fa' che cresca nella fedeltà e nell'amore per Te
e preservalo dal contagio del mondo.
Col potere di trasformare il pane e il vino
donagli anche quello di trasformare i cuori.
Benedici e rendi fruttuose le sue fatiche
e dagli un giorno la corona della vita eterna.

(Santa Teresa di Gesù Bambino)


 

 


Angelo Arboit
★ 15.03.1826, Rocca d’Arsiè
† 19 marzo 1897, Arsiè
Filiação: Pietro Arboit e Maddalena Brustolin

Atividades: Sacerdote, Etnógrafo, Formado em Letras.
Locais de atividade: Pádua, Piemonte, Udine, Piacenza, Resia, Sauris, Adelsberg, Postojna, Cagliari, L'Aquila e Parma como professor de Letras e, por último, Mântua como reitor da High School da cidade.

Angelo Arboit, estava entre os protagonistas da primeira temporada de estudos em Friuli. Nasceu em Rocca d'Arsiè (Belluno) em 13 de março de 1826. Angelo Arboit viveu uma vida atormentada e aventureira. Ele foi estudar no Seminário de Pádua, onde tinha como colega, Giuseppe Sarto, futuro Pio X, mas de repente, decidiu se matricular como voluntário nos "Caçadores dos Alpes" e sofreu uma lesão no peito em 1848. Ele então, retornou ao seminário, retomou seus estudos e formou-se em letras pela Universidade de Pádua, em 1850.
Ordenado sacerdote em 1857, foi capelão em Rocca, depois curado em Arten e depois instrutor particular com uma família nobre "Os Sarthein" de Fonzaso.
Participou ativamente dos eventos do Risorgimento. Exilado em 1859 no Piemonte, ele participou como voluntário e capelão militar na "expedição dos Mil": um célebre episódio do Risorgimento italiano, ocorrido em 1860, quando um grupo de voluntários, os Camisas Vermelhas, sob o comando de Giuseppe Garibaldi. Conheceu pessoalmente o herói dos dois mundos, bem como o escritor Ippolito Nievo. Desembarcou na Sicília ocidental, e conquistou o Reino das Duas Sicílias, então pertencente à casa real dos Bourbons, no reinado de Francesco de Assis Maria de Bourbon. Suspenso, "Sospensione a divinis" pela Santa Sé por pregar e divulgar princípios que estavam em conflito com a doutrina da Igreja Católica, seja através de declarações ou da publicação de escritos, e teve que manter um período de "Silêncio Obsequioso": consiste que o eclesiástico teve que se manter afastado da pregação e da publicação de textos por um período de tempo determinado., e a partir de 1862, ele iniciou uma longa carreira nas escolas secundárias do Reino como professor de literatura italiana e depois gerente, mas também era jornalista, publicitário e organizador de cultura.
No momento da reorganização das escolas que se seguiram à anexação de Friuli ao Reino da Itália, ele foi designado para Udine no R. Ginnasio Liceo; permaneceu lá como professor de italiano até 1874, ingressando e participando do renascimento das principais instituições culturais da cidade, em particular a Academia e a Sociedade Alpina. A atenção à peculiaridade linguística de Friuli teria permanecido viva, mesmo após sua partida, nas intervenções, na escola, no debate sobre a questão da linguagem, destacando por suas propostas de atenção aos dialetos da partida (como no Método Racional). para o ensino da língua italiana, de 1882). O período passado em Udine foi cheio de pesquisas e escritos. Transferido de Udine para Piacenza e depois para as escolas de outras cidades italianas. Sucessivamente foi diretor da escola secundária R. Ginnasio, Tito Livio, de Mântua. Quanto à sua posição em relação à Igreja, a suspensão foi desfeita pelo cardeal Callegari, também graças ao relatório, do então, bispo de Mântua Giuseppe Sarto que, depois de o visitar porque estava gravemente doente, o encontrou firmemente apoiado na fé cristã e em seus princípios. Então, voltou para Rocca di Arsiè, em 1895, onde, restabelecido no sacerdócio, morreu em 19 de março de 1897.

 

Monsenhor Angelo Fusinato

 

Monsenhor Angelo Fusinato:

Nascido em Arsié, em 5 de abril de 1802, entrou no seminário de Pádua aos 11 anos de idade, onde concluiu diligentemente seus estudos, sendo apreciado por seu espírito de auto-sacrifício e recebendo aprovação e elogios unânimes. Sacerdote consagrado, aprofundou seus estudos teológicos, obtendo um doutorado na Universidade de Pádua. Ensinou Letras no Seminário de Vicenza e Ciências Jurídicas da Universidade e no Seminário Superior de Pádua. Em novembro de 1849, ele foi nomeado Bispo de Concórdia Sagittaria - Veneza, itália. Ele participou da Comissão de Viena para a elaboração de uma nova concordata como delegado dos bispos de Triveneto após a revolta de 1848/49. Nesta operação delicada, ele desempenhou um papel muito importante. Ele morreu em Portogruaro em 28 de julho de 1854. Ele é lembrado em uma placa de pedra na fachada da casa ancestral da Família Fusinato em Arsié.





 

 

Design by Clara Strapazzon ®

Copyright © 2005 - 2017 by Clara Strapazzon

Todos os direitos reservados.