Sady Strappazzon

 


Histórico de Sady Strappazzon

Ademar Campos Bindé



Sady Strappazzon - Nasceu em 7 de fevereiro de 1928, em Ijuí, faleceu aos dois de dezembro 2011, aos 83 anos. Filho de Giovanni Jacó Strappazzon e Carmelina Muraro. Neto do casal de imigrantes italianos Ângelo Strappazzon e Barbara Nicoletto, bisneto dos imigrantes italianos Antonio Strappazzon e Maria Antonia Fusinato.

Casou-se com a professora Maria Weber, em 2 de fevereiro de 1957, com quem teve quatro filhos: João Carlos (engenheiro mecânico), José Luís (médico cirurgião geral), Maria Lúcia (professora de artes plásticas) e Vera Regina (contabilista).

Sady tinha ainda dois netos: Bruno Strappazzon (filho de Vera Regina e residente em Ijuí) e Arthur Strappazzon (filho de José Luiz e residente na cidade de Flórida, nos Estados Unidos).

Nos primeiros anos de vida foi acometido por uma paralisia, que afetou os movimentos de uma de suas pernas. Esse infortúnio jamais serviu para abater seu ânimo.
Quando jovem chegou a participar de jogos de futebol com seus amigos, no campinho dos Strappazzon, como era chamado aquele local, onde atualmente se localiza o complexo da Indústria de Máquinas Agrícolas Fuchs S. A. - Imasa,

Iniciou os estudos no Colégio Elementar Ruyzinho e cursou o 1º grau no Ginásio Duque de Caxias, e o 2º grau na Escola Técnica de Comércio Ijuí, onde formou-se contador, profissão em que atuou durante 45 anos.

Mesmo depois que deixou de exercer cargos públicos, nunca deixou de acompanhar as atividades políticas e comunitárias. Estudioso da história, especialmente de Ijuí, era uma referência preciosa aos estudantes e a todos aqueles que precisavam pesquisar fatos históricos do município.

Esse reconhecimento o levou a ser distinguido como patrono das feiras de livros deste ano em Ijuí, porém, seu estado de saúde já um tanto debilitado o impediu de comparecer aos atos desse evento.

Nos últimos anos, Sady Strappazzon exerceu também com elogiável dedicação as funções de presidente da Associação dos Aposentados de Ijuí, sempre atendendo com presteza e atenção todos aqueles que a ele recorriam.

Também vinha ocupando seu tempo em escrever suas memórias, trabalho que, infelizmente, não pôde concluir, mas deixou, certamente, valiosas contribuições à história de Ijuí.

Aos 16 anos começou a “fazer política partidária, tendo ajudado a fundar o PTB. Com 23 anos foi eleito vereador (1951), tendo sido reeleito ainda nos anos de 1955 e 1959, pelo PTB.

Fundou o MDB, partido pelo qual foi eleito prefeito em 1968, tendo como vice Wanderley Burmann, com mandato de quatro anos (1º de fevereiro de 1969 até 31 de janeiro de 1973).

Foi secretário municipal da Fazenda na gestão do prefeito Wanerley Burmann (1983) e de Obras Públicas (1987).

Exerceu várias funções no PTB, MDB e PDT, o qual também foi um dos fundadores.

Foi atuante em diversas entidades e instituições de Ijuí, além de fundador da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Ijuí (o qual era presidente) e da Associação dos Contabilistas de Ijuí.

É importante registrar que Sady Strappazzon foi o primeiro descendente de imigrantes italianos a ser eleito prefeito do município de Ijuí.

O atual prefeito Fioravante Ballin decretou luto oficial de três dias.

 

Sady Strappazzon – Por Cláudio Silva Rufino
Sex, 02 de Dezembro de 2011



Ex-prefeito Sady Strappazzon em seu escritório de trabalho onde atendia os aposentados, pensionistas e amigos.
 


Sady Strappazzon passa à eternidade neste dois de dezembro deixando um rastro de atuante convivência comunitária.

Jovem, militou no Partido Trabalhista Brasileiro, constituindo-se um dos seus mais importantes ativistas.

Eleito Vereador por diversas legislaturas na década de cinquenta e sessenta, consagra-se na defesa dos postulados trabalhistas, sob a liderança de Getulio Vargas, João Goulart, Alberto Pasqualini e Leonel Brizola.

Extintos os partidos políticos tradicionais, ingressa no MDB, oposição consentida aos governos militares, elegendo-se Prefeito no inicio da década de setenta.

Com a redemocratização, participa da fundação do PDT em Ijui, servindo como Secretário da Fazenda e depois Obras dos governos Wanderley Burmann e Valdir Heck.

Aposentado, lidera agremiação desta categoria de cidadãos.

Sempre ativo na vida comunitária, Strappazzon destaca-se na divulgação de seu conhecimento pessoal sobre fatos políticos locais, regionais e nacionais.

Participa de diversos eventos promovidos pela Unijui e outras entidades educacionais, recebendo em sua residência estudantes, com a mesma disposição.

Sady Strappazzon foi escolhido este ano como patrono da Feira do Livro de Ijui, como homenagem a seu esforço de transmitir seus conhecimentos históricos, estando a terminar um livro de memórias.

Pautou sua administração pela firmeza, colocando em ordem as finanças, sendo registrado em manifestação sua, na época, estar vivendo Ijui uma situação semelhante a de países desenvolvidos. Disse ele: “Em Ijui o futuro é hoje”.

Foi o segundo administrador de Ijuí nascido em nosso município, mas o primeiro eleito pelo voto de seus conterrâneos.

Sady Strappazzon deixa um legado inestimável de dedicação a Ijui, seus problemas e sua gente. Dona Maria, sua dileta esposa e companheira de toda a vida, assim como seus filhos e netos e outros familiares sempre foram solidários nas lutas por ele empreendidas podendo disto orgulhar-se eternamente


 

Sady Strappazzon 

Por Luís Fernando Arbo
Sex, 02 de Dezembro de 2011

Morreu um ícone do trabalhismo de Ijui. Um homem que honrou o partido de Leonel Brizola (PDT) até os seus últimos instantes. Um baluarte da defesa da ética e da coerência.

No pouco que o conheci: em manifestações na mídia, partidárias e daquilo que os aposentados e amigos relatam , tratava-se um grande líder e, acima de tudo, um grande ser humano.

De posições firmes e diretas como “tiro de 45”, sabia ser sereno com os bons e verdadeiros; mas, peleava bonito quando a demagogia e a maldade tentavam distorcer as coisas ou ludibriar seus companheiros e amigos. A injustiça, calúnia, difamação ou injúria eram prontamente combatidas em alto e bom som por esse cidadão que nunca compactuou com a velhacaria na política e na vida social.

O PDT de Ijui perde muito! Perdeu um líder que sempre apontava o rumo certo e que expressava suas discordâncias sempre enaltecendo o trabalhismo e contribuindo - amiúde e sobremaneira- para transformar o PDT no maior partido de Ijui. Os aposentados de Ijui perdem mais ainda! O Sady era um defensor abnegado e incansável das causas e interesses dessa classe. Insubstituível!

Perde também a sociedade! Perdeu uma referência viva dos tempos do movimento da legalidade e, dentro desse contexto, todo um histórico de lutas por direitos constitucionais, civismo e patriotismo.

Sobre a morte? A dor? Narra-se que o príncipe Sidarta Gautama, após ter-se iluminado, oportunamente interrogou os seus discípulos, indagando qual era o oposto de morte, e eles responderam que era vida.Após reflexionar por momentos, o nobre mestre redarguiu, tranquilo, que o inverso de morte é renascimento, porquanto sempre se está na vida, quer através do corpo físico ou fora dele.

Sobre tal assunto não há como olvidar as palavras do grande Divaldo Pereira Franco. Os seres a quem amas e que morreram, não se consumiram na voragem do aniquilamento. Eles sobreviveram!

A vida seria um engodo, se se destruísse ante o sopro desagregador da morte que passa.

A vida se manifesta, se desenvolve em infinitos matizes e incontáveis expressões. A forma se modifica e se estrutura, se agrega e se decompõe passando de uma para outra expressão vibratória sem que a energia que a vitaliza dependa das circunstâncias transitórias em que se exterioriza.

Não estão, portanto, mortos, no sentido de destruídos, os que transitaram ao teu lado e se transferiram de domicílio.

Prosseguem vivendo aqueles a quem amas. Aguarda um pouco, enquanto, orando, a prece te luarize a alma e os envolvas no rumo por onde seguem.

Não te imponhas mentalmente com altas doses de mágoas, com interrogações pressionantes, arrojando na direção deles os petardos vigorosos da tua incontida aflição.

Esforça-te por encontrar a resignação.

Como dizia o meu amigo Dante Aliguieri em sua imortal, A Divina Comédia, a fé é a substância do que se espera e argumento que, mesmo sem prova, leva à convicção. Só existem dois bandos: o dos eleitos e dos danados.

Tenho certeza absoluta que , com os votos dos amigos que deixou, Sady figura com destaque dentre os eleitos.

Fica o exemplo, fica o legado político e a saudade dos amigos que o Hortelão Supremo (Deus) ainda não chamou.

Aos familiares: o meu profundo pezar!!!

Velório de Sady Strappazzon - Por Maraísa Forgiarini

Corpo do ex-prefeito Sady Strappazzon será sepultado às 9h no Cemitério Municipal
Sáb, 03 de Dezembro de 2011


Depois de ser velado desde as 10h45 desta sexta-feira na Câmara de Vereadores de Ijuí, o enterro do corpo do ex-prefeito Sady Strappazzon acontece em cerimônia marcada para às 9h deste sábado, 3. O velório teve grande acompanhamento de familiares, correligionários e amigos. O ex-prefeito faleceu às 7h30 desta sexta-feira, 2, no Hospital da Unimed . Desde às 10h45, da manhã desta sexta-feira, 02, acontece na Câmara de Vereadores de Ijuí, o velório do ex-prefeito Sady Strappazzon. O enterro do ex-prefeito será neste sábado, 03, no Cemitério Municipal.

O Portal ijuhy.com conversou na manhã desta sexta-feira com o Professor Jaeme Callai e com o Vereador Marcos Barriquello que falaram sobre a trajetória de Sady Strappazzon.

Jaeme Callai destacou que Sady Strappazzon era um homem público que sempre trabalhou em prol da coletividade. “Como político ele deixa um testemunho extremante valioso porque ele demonstrava e fazia em termos de seriedade na política, de ética, não tinha meias palavras, sempre tinha uma posição bem definida”, disse.

O Vereador do PDT, Marcos Barriquello comentou que Sady tem um currículo vitorioso pela sua forma de fazer política. Seriedade, honestidade, um idealista que sempre buscou as causas populares. Foi prefeito foi vereador, secretario da fazenda, ficamos triste porque perdemos um homem que fez muito por Ijuí”, destaca.

Maraísa Forgiarini

 

O Sr. Sady Strappazzon, possuía um vasto acervo de livros que serão doados a Universidade de Ijuí.

Somos gratos a Deus e a você pela sua existência. Por ter passado pelos caminhos do mundo, semeando amor, bondade, otimismo, mesmo nas adversidades. Um homem de coragem, determinação, jamais mediu esforços em todos os campos onde atuou. Perdemos um grande amigo,  um ser humano inigualável, mas deixou-nos um grande legado, que nos acompanhará por toda a nossa existência, brindando-nos sobretudo, com seu exemplo de vida.

Que Deus o acolha em sua Glória, conforte e abençoe a todos os familiares.

Clara Strappazzon

 




 

 

Design by Clara Strappazzon ®

Copyright © 2011 by Clara Strappazzon

Todos os direitos reservados.